Conheça o ovo líquido e em pó e suas vantagens

Por muito tempo o ovo foi considerado um vilão na dieta e no cotidiano de seus consumidores, mas as pesquisas trouxeram outro olhar para ele. A nutricionista Lorena Silva (CRN 14130) contou para o blog da Avecom algumas das propriedades deste alimento que será o nosso tema de hoje.

“Devido a quantidade de colesterol (cerca de 212mg) presente em sua gema o ovo foi rejeitado por alguns nutricionistas, mas atualmente já sabemos que a ingestão total de gorduras saturadas será mais significativa para o aumento dos níveis plasmáticos de colesterol do que o consumo do próprio colesterol. Porém dependerá de fatores presentes na alimentação, estilo de vida, inclusive de predisposição genética de cada indivíduo. “afirmou a profissional.

O cuidado com o consumo do ovo in natura é necessário devido a bactéria salmonella que está presente em pelo menos 1% dos ovos de galinha, segundo a revista Superinteressante da editora Abril. A bactéria citada causa diarreia, vômito, febre e pode levar a óbito pessoas mais sensíveis como idosos e crianças. No entanto, as opções como ovo líquido ou em pó excluem este tipo de contaminação.

É isso mesmo, ovo em pó e ovo líquido! Nunca tinha ouvido falar? No decorrer do texto a gente te apresenta! Os ovos chamados processados ou pasteurizados são opções às quais o mercado recorre para evitar o risco de contaminações, além da facilidade para o armazenamento, transporte e uma série de vantagens operacionais. Entenda melhor o porquê.

Ovos pasteurizados: líquido e em pó

O processo de pasteurização aquece os ovos a uma temperatura que vai eliminar a possibilidade de contaminações, não somente da salmonela mas também de outras bactérias, sem alterar as propriedades nutricionais do alimento. Depois disso, o líquido é embalado de forma que também não possa ser contaminado, em geral é armazenado em embalagens similares a do leite em caixinha ou embalagens plásticas convencionais.


(Ovo líquido embalado – Fonte: internet)

Para os ovos em pó, a pasteurização também acontece, mas na sequência o líquido é desidratado por um processo chamado de atomização. A atomização é uma espécie de ‘secagem’ que, através de uma corrente de ar quente, desidrata o produto.

Os nutricionistas ainda afirmam que a casca do ovo tradicional é porosa permitindo, que alguns microrganismos entrem. Por isso, o armazenamento em embalagens convencionais é outro procedimento de segurança trazido pelos ovos processados.


(Ovos em pó – Fonte internet)

E o resultado final para o consumidor?

A relação entre os ovos processados e o paladar do produto final ainda divide opiniões. Os responsáveis por esta nova forma de consumo do ovo afirmam que tanto os valores nutricionais como o gosto em si permanecem, mas nem sempre os consumidores compartilham do mesmo pensamento.

O gerente comercial da empresa uberlandense “Encanto de Minas”, que fabrica cerca de 20 toneladas de pão de queijo congelado por mês, Rogério Martins, afirma que o consumidor sente a diferença quando o pão de queijo é feito com os ovos processados e não com os ovos in natura convencionais.

“Aqui na empresa nós trabalhamos sempre com testes diretamente com os consumidores, e em receitas nas quais acrescentamos os ovos processados os consumidores notam a mudança. Em geral eles não sabem citar exatamente o que mudou, mas é diferente, por isso optamos pelos ovos in natura mesmo. Agrada mais.”, afirmou.
E você? Já experimentou alguma receita que leve os ovos processados? Qual a sua opinião? Compartilhe conosco nos comentários e até o próximo texto!